sexta-feira, 12 de setembro de 2008

estudando

estudando

Estudando confundi sbagliare com dimenticare. Sei lá... errei, esqueci mesmo. Foi um caco de surpresa ver que a tutora não achou o fato nem um pouco estranho. Será que ela também acha que essas palavras são companheiras constantes, numa ou noutra língua? Talvez porque quando se erra é ótimo esquecer, mas quando se esquece é bem mais fácil errar [o que parece a explicação que eu, com minha idade vezes quatro, daria a mim mesma depois de um tropeço].