sexta-feira, 29 de agosto de 2008

espresso

espresso

Espresso. Era o que tomava quando ele sugeriu que pensasse sobre o que é motivo e o que é meio de vida.
Me convenceu: peguei a caixa com as minhas coisinhas e esparramei tudo pelo chão, para começar a classificação. Vi que é impossível separar. Algumas coisas têm cara de razão para carregar a caixa toda mas, se olhar bem, elas não passam de incentivo para aguentar o peso das outras, distração mesmo.

umas

umas

Umas vezes falei que comentar ou tentar explicar algumas coisas as destrói por completo. Mas naquela manhã foi difícil demais resistir à tentativa de entender se, quando cantou o "fim", queria dizer "final" ou "finalidade", se o "meio" era "modo" ou "metade".
Não pergunto, nunca vou saber.